Valorização da empresa chega a impulsionar alta recorde na Bolsa dos EUA.

Nvidia torna-se a segunda empresa mais valiosa na Bolsa

A fabricante de componentes para inteligência artificial Nvdia tem impulsionado o mercado acionário norte-americano com a venda recorde de seus chips e unidades de processamento gráfico.

De acordo com analistas norte-americanos a Nvidia (NVDC34) pode valer US$ 10 trilhões em 2030.

A princípio, 60% do retorno do S&P 500 tem sido impulsionado por cinco empresas como a Nvidia, Microsoft, Meta, Alphabet e Amazon.

No início de junho, a Nvidia tornou-se a segunda empresa mais valiosa do mundo em bolsa, após registrar uma alta de 147% apenas em 2024. Nesse sentido, só a Nvidia foi responsável por um terço do ganho do índice.

As ações da Microsoft, Apple, Nvidia e Alphabet, representaram 23,9% do S&P no final de maio, o maior peso coletivo de quatro ações nos últimos 60 anos.

De acordo com os administradores de carteira dos fundos de investimento,  o peso das empresas no mercado é merecido, devido aos lucros robustos, posições competitivas dominantes e expectativa de capitalizem os avanços no crescente campo da inteligência artificial.

Contudo, alguns estão preocupados com o fato da concentração de ganhos em um punhado de empresas pode ameaçar os índices se alguns desses grandes nomes começarem a oscilar.

As preocupações com a concentração do mercado surgiram várias vezes nos últimos anos quando as preocupações com a recessão nos EUA atraíram investidores para empresas maiores que estão menos expostas às flutuações da economia. Isso gerou valorizações impressionantes de um grupo de ações de tecnologia e crescimento apelidadas de as “7 Magníficas”.

Enquanto essas ações disparavam, grande parte do mercado permaneceu estagnado, embora não tenha ocorrido uma recessão.

A Nvidia foi fundada em 1993 por Jensen Huang e sua sede está localizada em Santa Clara – Califórnia.

Nvidia torna-se a segunda empresa mais valiosa na Bolsa

COMPARTILHAR

Escreva um comentário